Video

01/08/2014

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS GERAM 27% DO PIB DO BRASIL

Em dez anos, os valores da produção gerada pelos pequenos negócios saltaram de R$ 144 bilhões para R$ 599 bilhões

Micro e pequenas empresas geram 27% do PIB do Brasil
PIB dos pequenos negócios no Brasil

Brasília- Os pequenos negócios respondem por mais de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Juntas, as cerca de 9 milhões de micro e pequenas empresas no País representam 27% do PIB, um resultado que vem crescendo nos últimos anos. Os dados inéditos são revelados pelo presidente do Sebrae, Luiz Barretto. “O empreendedorismo vem crescendo muito no Brasil nos últimos anos e é fundamental que cresça não apenas a quantidade de empresas, mas a participação delas na economia”, afirma Barretto.

As micro e pequenas empresas são as principais geradoras de riqueza no Comércio no Brasil, já que respondem por 53,4% do PIB deste setor. No PIB da Indústria, a participação das micro e pequenas (22,5%) já se aproxima das médias empresas (24,5%). E no setor de Serviços, mais de um terço da produção nacional (36,3%) têm origem nos pequenos negócios.


Fonte: Assessoria de Imprensa Sebrae

Mais informações para a imprensa:
Redação
6132437851
imprensa@sebrae.com.br


MEI FAZ CINCO ANOS COM FORMALIZAÇÃO DE MAIS DE QUATRO MILHÕES DE OPTANTES
29/07/2014

Depois da formalização, os novos empresários constataram um aumento de 68% nas vendas

MEI faz cinco anos com formalização de mais de quatro milhões de optantes
Vendedores de roupas, cabeleireiros e pedreiros correspondem a 22% dos formalizados

Brasília - A figura jurídica do Microempreendedor Individual (MEI) completa cinco anos neste mês de julho e das mais de 470 atividades permitidas para a categoria, apenas três acumulam mais de 900 mil formalizações. As atividades de vendedores de roupas, cabeleireiros e pedreiros correspondem juntas a 22% do total de pessoas que optaram por esse caminho para empreender. Desde que foi criado, em 2009, mais de 4,1 milhões de brasileiros já se formalizaram.


“O Microempreendedor Individual pode ser considerado o maior movimento de formalização empresarial do mundo. A criação dessa figura jurídica representou a conquista do CNPJ e de direitos previdenciários como aposentadoria e licença-maternidade para milhões de brasileiros”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, que ressalta a importância econômica do MEI para o país, não apenas por ser mais uma porta de entrada para a legalização de diversos empreendimentos, mas por ampliar a arrecadação fiscal e previdenciária.

"A criação dessa figura jurídica representou a conquista do CNPJ e de direitos previdenciários como aposentadoria e licença-maternidade para milhões de brasileiros.”
Luiz Barretto - Presidente do Sebrae

Quem opta por se tornar MEI passa a ter o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e acesso aos benefícios previdenciários por apenas 5% do salário mínimo e mais R$ 5 de ISS e R$ 1 de ICMS (dependendo da atividade desenvolvida), em um único boleto mensal. Ele também pode contratar até um funcionário que receba até um salário mínimo. O processo de formalização do microempreendedor individual é rápido e pode ser feito de forma gratuita, na internet, no Portal do Empreendedor, no campo Formalize-se.


Após o cadastro, o CNPJ e o número de inscrição na Junta Comercial são obtidos imediatamente, sem custos e burocracia. Ao se formalizar, o empreendedor pode emitir nota fiscal e participar de licitações públicas, ter acesso mais fácil a empréstimos, fazer vendas por meio de máquinas de cartão de crédito, entre outras vantagens. A criação dessa figura jurídica trouxe ainda benefícios como a possibilidade de comprar matéria-prima com descontos e a participação em licitações.

Entre os milhares de cabeleireiros formalizados está a carioca Vanessa Brito, da Cidade de Deus. Ela tornou-se microempreendedora individual em setembro de 2011 para revender produtos de uma linha de cosméticos. Depois disso, decidiu investir no seu próprio salão de beleza, aberto um ano depois. De lá para cá, conseguiu abrir um espaço próprio e já tem duas unidades franqueadas. Para fazer frente às novas exigências, passou de MEI para microempresa em maio passado. “Tenho seis funcionários, três manicures e três cabeleireiros, todos com carteira assinada, o que me dá o maior orgulho”, diz ela.


Fonte: Assessoria de Imprensa Sebrae

Mais informações para a imprensa:
Alessandra Pires
6132437851
imprensa@sebrae.com.br

08/04/2014

Aliado importante para a tomada de decisões

Lançada no último mês, a ferramenta permite que o usuário crie seu próprio questionário, selecione o público desejado e receba, em 24 horas, as primeiras respostas.

O CEO da empresa, Felipe Schepers, explica que a pesquisa de mercado é uma estratégia importante e que ajuda os gestores nas tomadas de decisão. De acordo com ele, pode-se fazer pesquisas para coletar opiniões sobre identidade visual, avaliar ideias e conceitos e saber mais sobre o perfil de um possível consumidor. "Ao invés de ficar só no feeling ou na experiência, o empresário passa a embasar suas decisões em uma pesquisa de mercado", destaca.

Ele afirma que muitas empresas não tinham a oportunidade de usar essa estratégia, tendo em vista os altos valores dos contratos de pesquisa tradicionais. Mas, na Opinion Box, até um microempreendedor consegue encomendar o serviço, já que os custos são muito mais baixos. "Na plataforma, cobramos a partir de R$ 4 por questionário respondido, sendo que cada usuário deve contratar, no mínimo, 50 entrevistas. Dessa forma, é possível fazer uma pesquisa de mercado a partir de R$ 200", resume.

Ao entrar na plataforma, o usuário consegue fazer uma seleção criteriosa do público desejado. Ele pode determinar a classe social, sexo, faixa etária e até região dos entrevistados. Além disso, ele tem a sua disposição 40 modelos diferentes de pesquisas para auxiliá-lo na criação do seu questionário. Assim que envia a pesquisa, a Opinion Box tem até sete dias para finalizar o projeto e enviar aos entrevistados, mas, segundo Schepers, esse processo tem acontecido em um prazo de 48 horas. As respostas dos entrevistados chegam a partir de 24 horas do envio.

Leia mais em: http://www.ead.sebrae.com.br/noticias/noticia.asp?codigo=9201

18/03/2014

Locação de computadores

Atualmente, um ótimo caminho para as pequenas e médias empresas, assim como para as maiores, é a locação de computadores, pois essa atitude traz muitas economias para a empresa. Ao alugar computadores, a empresa economiza com manutenção, reposição de peças, e muito mais.
Então senhores empresários, se estiver pensando em abrir sua empresa procure os parceiros que alugam computadores.

Conselhos da: igconsultoria

Informática

A evolução da sociedade de informação é uma realidade indesmentível, com as novas tecnologias a impor mudanças a um ritmo acelerado. Atenta a esta realidade, a Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade de Informação (APDSI) tem vindo a promover a reflexão e o debate em torno dos temas mais atuais, como o big data, a nuvem ou a modernização do Estado com recurso às TIC.

Numa altura em que deixa a presidência da direção daquela associação (as eleições realizaram-se hoje, dia 18 de Março), José Dias Coelho falou com o Semana Informática sobre a realidade da APDSI e os grandes temas que moldam a sociedade portuguesa no âmbito das TIC.

Semana Informática – Como é que a APDSI se posiciona nos dias de hoje?
José Dias Coelho – A APDSI é uma associação da sociedade civil porque tem as suas bases nas pessoas ligadas às universidades, aos meios de comunicação social, aos quadros superiores de empresas de TIC e também a um grupo amplo de pessoas com funções no domínio das empresas de consultoria. A associação tem-se dedicado a desenvolver iniciativas variadas, e muitos estudos em particular, sobre os mais diversos temas da sociedade de informação, o que lhe dá uma perspectiva muito horizontal das implicações da SI na Administração Pública e na sociedade.

Fonte: http://www.semanainformatica.xl.pt/entrevista-da-semana/2906-si-est%C3%A1-em-muta%C3%A7%C3%A3o-constante.html

Revelações da Vanessa bbb

A conversa sobre adolescência continua na área externa da casa e Vanessa conta como foi seu primeiro beijo: "Meu primeiro beijo foi com uma menina, minha melhor amiga. Tava tudo marcado pra ela beijar o Rodrigo e eu, o Rodolfo. Mas, antes, a gente ficou beijando a mão pra treinar e eu falei 'não dá certo'. Aí ela falou 'vamos beijar'. Aí, eu falei 'tá'. Bateu dente com dente. Foi uma confusão".
As sister prestam atenção e a modelo continua: "Quando a gente desceu, eu fui ficar com ele. Na hora, achei nojento. Saí com uma ânsia. Depois, fui comer pão com requeijão. Fiquei um tempão sem comer pão com requeijão e, até hoje, quando como, lembro disso".

21/02/2014

COPA do mundo


Apesar do descontentamento de muita gente devido aos altos investimentos do Brasil com os estádios, teremos uma das melhores copas do mundo, e esse investimento trará muitas oportunidades para nosso micro empreendedores. Basta ficar ligado e aproveitar as oportunidades que esse evento traz.
É preciso que aproveitemos esse momento para crescermos no futebol e na economia. São vários os tipos de negócios que podemos implementar para ganharmos um bom dinheiro. Qualquer duvida, procure uma consultoria. Estamos a disposição.

110 dicas para abrir um negocio

Abrir uma empresa em 2014 significa atuar em um cenário especial:vivemos um bom crescimento no Brasil e crise lá fora. A diferença agora é que grandes investidores, locais e internacionais, estão determinados a explorar o mercado interno. Isso amplia o volume de recursos disponível e pode resultar em aportes para empresas brasileiras, em oportunidades para fornecer produtos e serviços para redes estrangeiras e também em maior concorrência. “Há muitas marcas sondando o Brasil, ao mesmo tempo que os fundos de investimento e de private equity. Quem se estruturar bem pode se tornar atraente para eles”, afirma o consultor Marcelo Cherto, integrante do Conselho Consultivo da Endeavor.

Leias mais: http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI287142-17152,00-IDEIAS+PARA+MONTAR+O+SEU+NEGOCIO.html

13/02/2014

Banco do Brasil faz previsões conservadoras



Apesar do lucro líquido recorde obtido no ano passado, de R$ 15,8 bilhões, o presidente do Banco do Brasil (BB), Aldemir Bendine, fez projeções modestas para os resultados da instituição para este ano. "Preferimos apresentar um dado, digamos, mais conservador ou realista, e procurar surpreender, como temos feito nos últimos anos", disse ele.

Segundo as projeções de desempenho do BB para 2014, o agronegócio terá o maior crescimento de crédito. A estimativa é que os empréstimos para o segmento variem de 18% a 22%. Esses percentuais, no entanto, são inferiores aos previstos no ano passado, entre 24% e 28%. O desempenho final ficou bem acima do esperado: 34,1%. A projeção para toda a carteira de crédito ampliada varia de 14% a 18% este ano, contra 17% a 21% do ano passado. O resultado, em 2013, foi 19,9%.

De acordo com Bendine, as estimativas ainda podem ser revisadas. "A divulgação de um guidance [projeção de resultados] é feita sobre o cenário de um determinado momento. Era um cenário em que trabalhávamos há aproximadamente três meses. As projeções de futuro não estavam tão clarificadas como estão neste momento."

Leias mais: http://www.ebc.com.br/noticias/economia/2014/02/apesar-do-lucro-recorde-em-2013-banco-do-brasil-faz-previsoes

Ganhar Dinheiro no Carnaval



Carnaval é época de ganhar dinheiro, portanto, sai de casa e bote seu bloco de ganhar dinheiro na rua.
Seja criativo, moderno, elegante, e inteligente, sigas as tendencias.
ótimos negócios são: confecção de fantasias, enfeites, sprays de espuma, bebidas, roupas, sovenirs, etc.




11/02/2014

Microempreendedor Individual

O que é o Microempreendedor Individual

O empresário que se formaliza como Microempreendedor Individual cria novas condições de trabalho e passa a ter benefícios.
As condições especiais para que o trabalhador conhecido como informal possa se tornar um Microempreendedor Individual legalizado estão dispostas pela Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008 e alterações. Podem se legalizar aqueles que exercem atividades de comércio, indústria e serviços de natureza não intelectual/sem regulamentação legal, como ambulante, camelô, artesão, costureira, lava-jato, reparação, encanadores, borracheiros etc.
O Microempreendedor Individual é a oportunidade do trabalhador informal se tornar um empresário individual legalizado que usufrui de benefícios, como Previdência Social e acesso a compras públicas. Em outras palavras, o MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.
O art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002, Código Civil, com última redação dada pela Lei Complementar nº 139, de 10 de novembro de 2011, instituiu a figura jurídica do Microempreendedor Individual (MEI), em vigor desde 01/07/2009.

Leia mais: http://www.sebrae.com.br/uf/ceara/lei-geral/mei-1/microempreendedor-individual

Qual é melhor para leitura?

LCD ou e-Ink: qual é melhor para leitura?


Sem dúvida nenhuma os tablets com tela de LCD vendem muito mais do que um aparelho para leitura de livros digitais como o Kindle, da Amazon, e o Kobo, da Livraria Cultura. Nos Estados Unidos, por exemplo, com o preço de um iPad Air básico com WiFi e 16 GB, é possível adquirir quase cinco dispositivos Kindle PaperWhite com conexão sem fio.
Afinal, por qual motivo as pessoas deixam de adquirir um eReader? Ele é muito mais barato do que um tablet com tela de LCD e proporciona uma experiência de leitura melhor. Para conseguir compreender as principais diferenças entre esses dois gadgets, vamos mostrar alguns detalhes que podem fazer a diferença na hora de escolher um ou outro.

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/gadgets/50212-lcd-ou-e-ink-qual-e-melhor-para-leitura-.htm

05/02/2014

Marcelo do bbb faz carinho nas costas de Angela

.

Na área externa da casa, Angela e Marcelo estão sentados um ao lado do outro no sofá. Os dois conversam e a sister diz não saber onde está o boné do curitibano que ela sempre usa. "Eu não sei onde está o seu boné azul claro", diz ela. "Azul claro? É gelo", diz o brother. Angela e Marcelo discordam da cor do boné e o brother brinca com ela: "Adorei o seu biquíni vermelho!", brinca ele, vendo que o biquíni dela é azul. Angela começa a rir.

03/02/2014

5 passos básicos antes de abrir uma empresa



1. Busque um contador

Para que as documentações da abertura do negócio estejam todas corretas, alinhe-se com um contador. “Existe uma espécie de crença entre os pequenos empresários que é mais interessante viver na ilegalidade, mas é uma ilusão”, afirma Filho. O contador poderá recomendar qual será o melhor sistema tributário para o seu empreendimento.

Para Saade, o profissional também pode ajudar o empreendedor a montar um cronograma, com os dias de pagamento dos impostos e informar o melhor dia do mês para fazer um balanço.

2. Alinhe-se com um advogado

O advogado pode auxiliar o empresário a elaborar o contrato social e outros documentos da empresa. “São ferramentas de trabalho que devem ser elaboradas por um profissional da área. Se vai vender pela internet, por exemplo, precisa de um auxílio do advogado para informar até quando vai a responsabilidade da empresa”.

3. Registre a sua marca

O investimento pode parecer alto no começo, mas é uma vantagem para a empresa a longo prazo. “De repente, o negócio começa a se consolidar e, se alguém registrou a sua marca, será preciso mudar o nome”, afirma Galhardo.

Além disso, o empresário deve considerar comprar um domínio na web, mesmo que não tenha planos para montar um portal robusto. Um site com informações básicas sobre a empresa faz bem para a imagem do negócio.

4. Invista em um serviço de marketing

É comum que pequenos empresários recorram a soluções rápidas para fazer o logo da sua marca e produtos de divulgação do negócio. Economicamente pode parecer mais vantajoso do que contratar um serviço especializado.

Mas, hoje existem empresas especializadas para atender pequenos negócios que desejam investir um pouco mais no marketing. “É um serviço que poucas pequenas empresas buscam".

5. Faça um planejamento financeiro

O sucesso de um negócio é fruto de um bom planejamento. E, ao abrir uma empresa é preciso estar com as finanças em dia para não levar nenhum susto. “As pessoas são muito otimistas quando abrem o negócio e acham que já têm uma clientela”, diz Galhardo.

Para o especialista, é recomendável ser um pouco conservador com relação ao estoque inicial e pecar pela falta e não pelo excesso. Além disso, é preciso que o empresário tenha dinheiro no caixa para pelo menos três meses sem lucro.